Desapego: a primeira grande lição!

Constantemente manchetes sobre pessoas que largaram tudo para correr atrás dos seus sonhos pipocam em sites, blogs, revistas, jornais e até mesmo na televisão. Elas falam de como essa decisão foi maravilhosa e não se arrependem e assim o leitor/espectador fica com aquele pensamento: “Queria fazer o mesmo” ou “Parece tudo tão perfeito”. De fato essa decisão quase sempre é acertada, mas ela tem consequências, e uma delas é que para tirar os planos do papel, todas essas pessoas precisaram aprender sobre o desapego.

É que no meio do caminho para uma vida diferente existem várias barreiras que precisam ser superadas. Depois da sua decisão de mudar radicalmente, vem uma enorme lista de desafios, que vão desde aprender a economizar, planejar até desapegar. E eis que a primeira grande lição é: o desapego! Não adianta pensar que você vai conseguir colocar todas as suas coisas e relíquias na mala e sair carregando por aí. Na verdade você pode até fazer isso, mas eu aposto que na primeira viagem você vai pensar: Por que eu trouxe tanta coisa?  Maldita mala pesada. Mas 100 dólares só porque excedi alguns quilinhos na mala? Que absurdo!

Desapegar é necessário e posso garantir que só vai fazer bem. Mas no começo não é nada fácil. Você precisa começar a mentalizar que todos aqueles livros que você tanto ama são demais, mas você não pode carrega-los. Então é hora de escolher quais vão ser doados, quais vão ser vendidos e quais vão ficar guardados na casa dos seus pais esperando aquele dia que você vai buscá-los, mesmo que lá no fundo você acredite que esse dia não vai chegar (sim, a resistência acontece e ninguém de ferro). Em seguida, vem todos aqueles presentes incríveis que foram ganhados ao longo dos anos, aniversários, casamento, natais. As vezes materializamos as pessoas nas coisas que elas nos dão, então desapegar dessas coisas dói, parece que você está deixando um pouco daquela pessoa para trás. Mas com o tempo você percebe que o melhor lugar para ela estar com você é no seu coração e nas memórias incríveis dos momentos que vocês passaram juntos.

O ponto mais dramático para a maioria das mulheres é desapegar das roupas, sapatos, maquiagens. Tudo foi adquirido com a absoluta certeza de que eram extremamente necessárias: “Aquele sapato cheio de glitter incrível, caro, que nunca usei, mas que com certeza vou precisar a qualquer momento?”. No primeiro momento você quer agarrar todas as suas coisas e encolher no canto para que ninguém as tire de você. Igual uma criança fazendo pirraça. Mas aí dia após dia fazendo aquele bom e velho exercício do “quando usei isso? quando vou de fato usar? acho que isso pode ir sim.” pouco a pouco o desapego vai se tornando algo natural. E a cada desapego a vida fica mais leve.

Consequências do desapego

Depois que aprendemos a praticar o desapego a sensação é de liberdade, de poder levar seus bens verdadeiramente essenciais para onde você for. A qualquer momento é possível empacotar tudo e parar no outro lado do mundo sem maiores dramas. E assim, a cada dia você quer desapegar mais e mais. Doar coisas faz um bem nadado. A sensação de ajudar o próximo, de saber que talvez, com um pequeno gesto, você mudou a vida de uma pessoa é impagável. E quando você não quer doar pode sempre vender e fazer uma graninha para turbinar sua poupança.

Depois que aprendemos a desapegar fica muito mais fácil economizar, planejar e sonhar em realizar coisas que nunca pensamos que seríamos capazes. Por que estamos trocando a mania de acumular, com a mania de correr atrás dos nossos sonhos. Além disso, com a grande lição do desapego começamos a perceber as coisas que realmente nos fazem felizes e são importantes pra nós, porque a grande verdade é que por mais difícil que seja abandonar coisas, ter que abandoná-las não vai te matar. Mas é impossível arrancar de sua vida as pessoas que você ama, as memórias maravilhosas de tudo que você viveu e aí sim você descobre o que é realmente essencial na sua vida.

Post Tags
Compartilhe esse post
Sem comentários

DEIXE UM COMENTÁRIO